AioCast: #015: Como conquistar o mercado internacional com uma startup

Já pensou em empreender no mercado internacional? Entrevistamos Amure Pinho que começou com uma empresa de sofware, depois foi um investidor anjo até começar a criar o seu próprio empreendimento. Ele resolveu empreender internacionalmente com o Blogo, aplicativo capaz de deixar a vida dos bloggers mais simples. Amure Pinho contará como foi a escolha dele por este mercado e quais as dicas para quem quer fazer uma startup internacional. É só dar o play no AioCast!

Como ser uma Startup Internacional


Ouça no Como Usar do Aio

Transcrevemos as principais dicas de Amure Pinho, Fundador do Blogo, em relação ao mercado internacional e o motivo dele ter investido nele. Vale a pena anotar as dicas!

Por que investir no mercado internacional?

Quando você mira internacionalmente você não está fazendo nada mais, nada menos do que apontando para um mercado gigantesco. O mercado americano é um mercado em procura, em volume, em anúncio, em demanda ridiculamente alto se comparado aos outros mercados.

Então, quando você pensa em criar um produto, principalmente um produto mobile que dependa da atração de lojas de aplicativos; ou então que dependa de Facebook, não faz sentido você não pensar Global First. A não ser que a dor que esteja resolvendo seja uma dor daquele país. Ou que o seu mercado lá fora já esteja muito saturado, mas no seu país de origem ele ainda não foi explorado.

No caso do Blogo, se eu faço uma ferramenta em que o objetivo era publicar insights como o wordpress e blogger, este sites são gringos, estes sites são internacionais. Logo a AIT é uma coisa que é código, eu não preciso de português ou de inglês. O meu mercado é mundial, escreve, em todos eles usam plataformas na língua inglesa. Se eu não focasse no mercado americano, provavelmente o meu TAM, o meu Total Addressable Marketing, seria muito pequeno nesse início.

Atinge os EUA e o mundo inteiro

Existe um mercado muito consumidor, que é o mercado dos Estados Unidos. Quando você aponta para lá você também está pegando Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Canadá que são países que também tem a língua inglesa dentro da sua cultura. Ou seja, se você está fazendo isso para o mercado mundial. Se não existe uma diferença cultural entre a entrega do seu serviço e do seu produto no Brasil ou no mundo. Por que não fazer no mundo?

É real, tem grandes startups fazendo isso e grandes empresas fazendo isso. Existem N provas de que quando você mira lá no alto você consegue, sim, atingir uma grande fatia do mercado americano. E não só americano, mas o Europeu também.

Como fazer um negócio ser global

Já conversamos no primeiro AioCast sobre a diferença entre  as culturas dos países. Nele o Gabriel Senra, da Linte ressaltou que trazer algo que faça a diferença em outros países pode não funcionar no Brasil, assim como o contrário também acontece. “Não dá para importar tudo para o Brasil”, ressaltou o empreendedor.

Por isso, vamos focar aqui em formas de melhorar o produto para que ele seja, inicialmente, viável de funcionar em outro país. Mas vale ressaltar que é essencial fazer uma pesquisa de mercado no local de destino. Só assim será capaz de entender se o produto, realmente, terá saída por lá.

O Amure Pinho, por exemplo, conversou com vários bloggers para descobrir quais as maiores dificuldades que eles tinham, para então criar um aplicativo que suprisse essa demanda. Então, a pesquisa é essencial na hora de lançar um novo produto ao mercado como uma startup internacional.

5 melhorias para ser uma startup internacional

  1. Meios de pagamentos. É essencial prestar atenção aos meios de pagamento na hora de mudar para outro país. Isso porque os que existem no Brasil podem não existir no outro país de destino. Uma dica interessante, neste sentido, é plugar o Stripe ao seu site.
  2.  Qualidade de conteúdo. O maior desafio é o da língua, do suporte e do texto do site. Há uma diferença entre uma linguagem de máquina e uma linguagem feita por um nativo. Essa diferença é o que faz você se diferenciar de um chinês e de um indiano. E isso é o que fará aquele consumidor comprar de você!
  3. Escrever conteúdos com emoção. Pare de pensar apenas em tráfego, em SEO. Faça um conteúdo que realmente entenda o seu cliente. Seja simpático com ele, agregue conteúdo e tire suas dúvidas.
  4. Contrate um nativo americano. Isso será fundamental para que ele escreva o conteúdo do site e para fazer uma interface bem traduzida. E, claro, também tenha alguém no atendimento ao usuário que fale a língua inglesa. Assim, dará o suporte necessário para esse cliente.
  5. Diminua as chances do cliente perceber que não é uma empresa daquele país. Grandes produtos de outros países, que tem o mercado americano como objetivo principal, apostam e investem em qualidade de língua. Isso faz uma grande diferença. As pessoas precisam não perceber que você não é uma empresa americana. Ou seja, tem que diminuir a fricção da dúvida. E quando você está com o texto mais ou menos, você gera aquela dúvida. Quando você entra em um site que a tradução para o português está sendo feita por uma maquina automaticamente, você fica com aquele pé atrás, certo? Isso tira a confiança de que este cliente terá uma pessoa para ajudar na língua dele, caso precise.

O que achou do conteúdo de hoje do Aiocast repleto de dicas de como ser uma startup internacional? Mande nos comentários as suas dúvidas? 

Ouça os episódios completos no Como Usar do Aio ou no SoundCloud.

 

  • 46 Posts
  • 2 Comments
Ana Clara Carvalho é escritora, jornalista e blogueira do Diário da Aninha Carvalho. Adora descobrir o que há por trás de séries, filmes e ama escrever, tanto que publicou o primeiro livro aos 20 anos. Além disso, adora gravar vídeos para o canal no YouTube e agora faz vídeos para o Aio também. Ela vai te ajudar a entender o mundo dos cursos on-line tanto para o ensino quanto para treinamentos corporativos como redatora do blog Meu Aio. Então, se quiser falar com a Ana basta comentar abaixo, interagir nas redes sociais ou entrar em contato pelo e-mail: acarvalho@barbaruiva.com. Ah! Ela adoraria ter você como seguidor no Instagram! #FicaDica