AioCast #012: Como manter cultura de empresa em constante crescimento

Sua empresa está crescendo mais rápido do que imaginava? Então chegou a hora de levar algumas dicas da Sympla para o dia a dia do seu empreendimento. Isso mesmo que está pensando. O 13º AioCast é com o CEO e co-fundador da Sympla, Rodrigo Cartacho. Ele contou como manter cultura de empresa para que ela acompanhe o ritmo do crescimento e não se perca. Além disso, falou sobre as dores de manter uma startup e como essas dores podem ser essenciais. Então, vamos para esse bate papo cheio de conteúdo!

Como manter cultura de empresa em crescimento

Neste podcast você aprenderá:

  • Crescer dói, mas é uma das melhores dores de todas.
  • Quando as coisas não estão quebrando é porque não estão andando rápido o suficiente.
  • Como é o processo seletivo da Sympla e como fazem para inserir o fit cultural nele
  • Os três cortes do dia a dia de uma startup

Como manter cultura de empresa quando a empresa cresce muito rápido

Manter a cultura é muito difícil quando você cresce rápido. Crescer dói. Então quando dói você quer resolver a sua dor. Se a gente esquecer a cultura e tentar resolver a dor de curto prazo, eu acho que é um grande perigo que a gente tem para as nossas empresas. Na Sympla a gente tem isso muito claro.

Nós não resolvemos nada de curto prazo, se não estiver extremamente alinhado com a nossa cultura. Cultura aqui dentro é inegociável. Um dos meus papéis aqui hoje, junto a equipe de RH, é garantir que mesmo a empresa crescendo tanto, a cultura se mantenha.

A team da Sympla

Cultura é algo que é inegociável e contratação vem junto.  Então, nós buscamos pessoas que sejam A team. Dentro da Sympla temos muito claro que gente boa quer trabalhar com gente boa. Nós temos que garantir que as pessoas que estão entrando são as pessoas com quem queremos trabalhar. Que estão nos empurrando para cima e não empurrando para baixo.

Processo seletivo

Temos um processo seletivo bastante complexo, bastante completo e que muitas pessoas participam. Em geral, são seis a sete etapas o processo seletivo. Dentro desse processo seletivo, ele vai ter as análises técnicas da área específica onde ele vai trabalhar. Várias pessoas da área em que ele vai trabalhar vão participar. E várias pessoas de outras áreas que ele não vai estar atuando também vão participar.

O que é justamente quando falamos que a tomada de decisão, em uma startup, é bastante horizontal. Elas tem muita autonomia, por isso ela precisa ter muito contexto. Para ter contexto, você tem que saber muito mais o que você faz, saber tudo o que a empresa faz. Então, acaba que são as pessoas estarão trabalhando com elas.

Não só porque ela vai estar na minha área, mas porque elas tem interface com várias áreas. Então, colocamos várias pessoas no processo seletivo, para garantir, de que eles tenham o máximo de contato possível para chegarmos a uma tomada de decisão.

Análise de fit cultural

Chega na última etapa que é na análise de fit cultural, essa etapa é a pessoa de RH que conduzia o processo seletivo. Eu participo de todas. Mais uma pessoa que não participou do processo seletivo e que não seja da mesma área que essa pessoa vai trabalhar. É porque a gente acredita que análise de fit cultural precisa ser uma análise isenta.

“Move Fast and Break Things”.(Mark Zuckerberg)

Crescer dói, mas crescer rápido dói muito mais. Quando a gente tem aquela frase que é “Se as coisas não estão quebrando tanto é porque não estão andando rápido o suficiente”. Eu acredito demais nisso. O nosso maior custo hoje, é o nosso custo de oportunidade. Então, a gente tem que andar muito rápido. E ao andar rápido as coisas vão quebrar.

3 cortes no dia a dia de uma startup

Eu costumo fazer uma analogia disso com corte.

Existem três tipos de cortes no dia a dia da startup:
1. Corte de band-aid: aquele corte que deu na sua mão. Doeu, você colocou um band-aid e daqui há três dias você nem lembra que aquele corte existiu.
2. Corte de veia: que você tem que estancar na hora para parar o sangramento.
3. Corte de artéria: que você tem que correr para o hospital, se não você morre.

Nós temos os três cortes no dia a dia da startup.  O que é veia e artéria você tem que parar o que você está fazendo e estancar esse sangramento. Mas o que é corte de band-aid, temos que nos acostumar. Isso porque você terá vários deles ao longo do tempo. E quando eu falo você, não é apenas o empreendedor e co-fundador.

Por isso, falamos que startup é uma instituição de organização horizontal onde as pessoas tem autonomia, ou seja, está todo mundo construindo, na verdade, está todo mundo empreendendo. Então não é só você, enquanto fundador, que estará cheio de band-aid, os colaboradores também terão que se acostumar com os cortes de band-aid.

Quebrar para ser reconstruído

E é muito importante essa tomada de decisão para quem vai trabalhar em uma startup e de quem quer criar uma startup. Você tem que saber que crescer rápido tem um custo sim, as coisas vão quebrar. O quebrar também não é ruim. Eu adoro que as coisas quebrem e sejam reconstruídas. Isso é uma coisa que eu tenho tesão por isso.  Ou seja, faz parte, está inerente ao processo. Então quebrando, principalmente quanto ao corte band-aid, a gente tem que ter poucas veias e poucas artérias.

Quase nenhuma artéria, de preferência nenhuma. Mas acaba que pode ter uma ou outra. Mas de band-aid, não, isso é parte do que fazemos e vem junto ao pacote. Mas tem muita gente que está entrando neste mundo sem saber que vai ser assim. Tanto o empreendedor que não está pronto para sofrer antes de dor ali do custo de crescimento rápido.

Todas as dores que vem junto do pacote. Até mesmo o colaborador, que está entrando em uma startup, ele vem de um mercado tradicional e espera ter os benefícios de uma empresa que está em alto crescimento. Sem as dores de uma empresa de alto crescimento. Isso não existe. Então, acaba que é uma dica que vai para os dois.

Quer trabalhar em uma startup ou quer criar uma startup? Acostume com as dores do crescimento rápido, que é a melhor dor que você pode ter. Que é sinal de que  as coisas estão crescendo rápido e de que você está aproveitando sua oportunidade. Então, é uma dor que você tem que comemorar.

Esse foi o nosso bate papo dessa semana. O que achou? Saber como manter cultura de empresa em constante crescimento é, com certeza, um desafio diário. Mas vale a pena! Mande nos comentários os desafios diários que enfrenta em sua empresa.

Ouça o AioCast também pelo SoundCloud.

  • 46 Posts
  • 2 Comments
Ana Clara Carvalho é escritora, jornalista e blogueira do Diário da Aninha Carvalho. Adora descobrir o que há por trás de séries, filmes e ama escrever, tanto que publicou o primeiro livro aos 20 anos. Além disso, adora gravar vídeos para o canal no YouTube e agora faz vídeos para o Aio também. Ela vai te ajudar a entender o mundo dos cursos on-line tanto para o ensino quanto para treinamentos corporativos como redatora do blog Meu Aio. Então, se quiser falar com a Ana basta comentar abaixo, interagir nas redes sociais ou entrar em contato pelo e-mail: acarvalho@barbaruiva.com. Ah! Ela adoraria ter você como seguidor no Instagram! #FicaDica