Entenda o que é a árvore de decisão e saiba como aplicar no treinamento corporativo

Elaborar treinamentos complexos e eficazes para seus colaboradores não é uma tarefa nada fácil. Além da relativa dificuldade para selecionar um conteúdo que seja útil e interessante, esse processo envolve uma série de tomadas de decisões essenciais para o sucesso da sua empresa. Uma ferramenta que pode ser usada para avaliar e examinar todas as suas opções cuidadosamente é árvore de decisão. Ao permitir a análise de cenários complexos de forma visual, é possível ter informações suficientes para escolher soluções mais assertivas para qualquer conflito.

Neste post, você vai entender melhor como esse recurso pode esclarecer o gerenciamento de riscos e objetivos envolvidos em diversos tipos de problemas.

Neste conteúdo você aprenderá:

  • O que é uma árvore de decisão
  • De onde vem o nome “árvore de decisão”
  • Árvore de decisões no treinamento corporativo
  • Como aplicar a árvore de decisões no treinamento em vídeo?

O que é uma árvore de decisão?

A árvore de decisão é um modelo estatístico bastante usado em inferência indutiva, no entanto, também possui utilidade em outros diferentes ramos de conhecimento. É possível, inclusive que você até tenha se deparado com a representação gráfica de algum deles antes, sem conhecer o seu verdadeiro nome.

Trata-se de um modelo gráfico que pode ser desenhado manualmente ou criado com a ajuda de softwares específicos, geralmente em forma de fluxogramas ou diagramas. Essa representação ajuda a explorar todas as alternativas de uma determinada decisão e seus possíveis resultados.

Informalmente, a árvore de decisão é útil para orientar a discussão quando um grupo deve resolver um problema. Seja para tomar uma decisão seja para solucionar alguma dúvida. Programaticamente, elas são usadas na criação de algoritmos informáticos para atribuir valores monetários, de tempo ou outros fatores para alguns tipos de decisões automatizadas.

Embora esse conceito seja uma novidade para a maioria dos empresários de hoje, ainda devemos ouvir muito sobre árvores de decisão nos próximos anos.

Por que a árvore de decisão tem este nome?

A representação desse modelo possui uma estrutura hierárquica que se parece muito com uma árvore invertida. Já que parte de uma questão geral que ganha uma progressão previsiva/classificativa com ramificações particulares (da raiz para as folhas).

Em todos os níveis dessa árvore, podem ser consideradas decisões que levam à estrutura do nível seguinte, até que sejam atingidas as folhas, ou seja: os nós terminais.

Isto significa que, em cada nível daquela árvore, um problema mais complexo é dissecado em outras questões mais simples. Com respostas capazes de originar menos riscos para os envolvidos naquela questão.

Como exemplo, pense na seguinte situação: um colaborador deve conciliar sua rotina de trabalho com o recebimento de uma quantidade muito alta de e-mails diariamente. Como gerenciar as respostas de todas essas mensagens sem deixar que sua produtividade acabe prejudicada?

Uma árvore de decisão de gerenciamento de e-mails corporativos pode começar com a questão principal, ou seja, o “recebimento de novo e-mail”. Desse ponto, um dos galhos da árvore pode conduzir até a variável “requer resposta imediata?”. A partir da resposta, uma caixa “sim” leva a melhor decisão disponível: “responda”.

Por outro lado, se a situação possui circunstâncias diferentes, a caixa “não” leva o leitor a outras condições para analisar e responder. Com isso, segue um fluxo à custa de diversas variáveis independentes até a resolução de seu conflito.

árvore de decisão no dia a dia

Por que utilizar a árvore de decisão em meus treinamentos?

Aplicar a árvore de decisão em seus treinamentos, seja para explicar um conceito complexo, seja para mostrar como funcionam os modelos preditivos automatizados daquela empresa pode ser bem vantajoso para o engajamento de toda a equipe. Confira os seus principais benefícios:

Criação de instruções padronizadas

Vamos supor que você precise treinar um time de telemarketing para oferecer produtos ou serviços. Com isso, precisa de um treinamento que explique o que cada atendente deve fazer em situações diferentes. Por exemplo, e se o recurso for oferecido pela primeira vez e o cliente recusá-lo? O colaborador deverá explicar os seus benefícios com mais detalhes. Mas e se ainda assim a resposta do cliente for negativa? Por isso o atendente deve ser treinado para saber o que fazer. Neste caso seria perguntar o motivo e proceder a abordagem de acordo com a resposta que receber.

Como fazer com que os alunos se lembrem de tantas informações? Como fazer com que se lembrem das instruções de ação para tantas possibilidades de situações diferentes? Em vez de esperar que todos decorem tudo, um simples diagrama em forma de árvore de decisão impresso pode ser uma ajuda e tanto para ajudar a fazer todos se lembrarem do que deve ser feito enquanto trabalham.

Facilidade de interpretação

O quão difícil foi compreender a imagem da árvore de decisão que você viu neste post hoje? A principal vantagem desse tipo de abordagem é que todas as opções são definidas de forma lógica. Sendo assim, os resultados são bem tangíveis e fáceis de entender.

Permite a adição de vários cenários possíveis

O modelo dá ao tomador de decisão uma visão geral das múltiplas etapas que seguirão cada decisão possível. Com isso, projeta também seus resultados mais prováveis. Sendo assim, o criador da árvore de decisão possui liberdade para supor circunstâncias ilimitadas e pensar em consequências para cada uma delas.

Além de também poderem ser combinadas com outras técnicas de decisão, as árvores de decisão são bem versáteis, e por isso podem ajudar muito, não apenas no treinamento e aprendizado de seus colaboradores, mas também na tomada de diversos tipos de decisões dentro da sua empresa.

Como aplicar a árvore de decisões no treinamento em vídeo?

Conhece o treinamento baseado em adaptive learning? A partir dele, o colaborador avança ou precisa aprender um pouco mais para seguir adiante. É como se o curso acompanhasse o desenvolvimento do colaborador. Essas decisão e este fluxo de conteúdos podem ser agrupados em uma árvore de decisões.

Imagine que o colaborador precise assistir a uma vídeo chamado “Como atender bem um cliente”. Após assistir ele receberá um questionário para que consiga testar as habilidades aprendidas por ele. Se o resultado for inferior a 70% de acertos, ele receberá um outro vídeo. Só que agora explicando com mais detalhes o primeiro vídeo. Assim, o colaborador terá a chance de aprender o que não conseguiu capturar daquele conteúdo.

Depois de assistir ao segundo vídeo, ele terá outro teste. Caso passe dos 70% de acerto ele seguirá para o conteúdo adiante. Sendo assim, é possível acompanhar a evolução dele e garantir que nenhuma dúvida fique para trás. Veja como seria esse possível trajeto no diagrama abaixo:

árvore de decisão no dia a dia

Se você gostou deste post, aproveite para baxar nosso eBook para otimizar ainda mais os seus treinamentos e conquistar capacitações mais efetivas para o bom funcionamento da sua organização! O que está esperando? 

Bianca Lopes
  • 19 Posts
  • 0 Comments
Bianca Lopes é jornalista, publicitária, redatora, faixa preta em lutinha de polegares, ensimesmada e desafiadora compulsiva do bom senso. Gosta de criar, limpar, imaginar, inspirar, listar vários adjetivos seguidos em qualquer tipo de texto e nunca enxergar em uma pedra apenas uma pedra.